fbpx

Você sabia que vários fatores podem interferir negativamente em nossa autoestima? Quando estamos inseguras da nossa imagem e percepção acerca de nós mesmas, podemos sofrer uma queda da nossa autoestima e se não identificarmos os elementos que nos causam essa interferência, podemos ter consequências prejudiciais para a nossa saúde física, mental e emocional.

A autoestima se trata da forma como nos estimamos, como nos percebermos e reconhecemos, portanto, se essa imagem estiver distorcida, nós teremos provavelmente uma alteração da nossa autoestima.

E para que possamos nos precaver em relação a esses fatores que podem minar a nossa autoestima, vamos conhecer 5 deles e descobrir como podemos lidar com as consequências que eles podem trazer.

O 1º fator é: a falta de autonomia financeira: Quando a nossa situação financeira está comprometida, tendemos a ficarmos cabisbaixas e preocupadas com a maneira que vamos levantar a quantia que precisamos para o nosso sustento e de nossa família.

E essa preocupação, muitas vezes, vem acompanhada de sentimentos de frustração, incapacidade e impotência e, consequentemente, sentimos a nossa autoestima baixar por não conseguirmos nos sentir bem diante daquela situação desfavorável.

A dica que eu deixo para lidarmos com esse desconforto é identificarmos esses sentimentos que estão nos invadindo e analisarmos se eles realmente fazem sentido pra nós. Nós podemos criar pensamentos mais otimistas em relação a forma que nos enxergamos dentro daquele cenário.

Eu sei que não é fácil nos acharmos a pessoa mais especial do mundo quando não vemos os resultados dos nossos esforços, acredite, eu sei mesmo o que é isso. Mas, se nos sabotarmos achando que somos incapazes de mudarmos essa situação tão incômoda, ninguém vai poder fazer por nós o que só nós podemos fazer.

O 2º fator que pode minar a nossa autoestima é: a falta de liberdade de expressão: Sim, todas nós queremos ser ouvidas e queremos fazer parte de uma sociedade que valide as nossas opiniões e os nossos sentimentos, e quando nos sentimos excluídas e anuladas, podemos sofrer uma baixa em nossa autoestima.

Então, para não sofrermos com os danos dessa situação, a dica que eu deixo é que não nos cobremos tanto pelo o que os outros pensam e falam ao nosso respeito, porque não podemos liderar a opinião do outro, o que podemos fazer é tentarmos da forma mais amigável possível expor o nosso ponto de vista, respeitando os demais, e se mesmo assim, não conseguirmos a atenção e valor que queremos, nós podemos fazer novos relacionamentos que irão nos valorizar e nos respeitar como somos.

Existem bilhões de pessoas no mundo, então eu acho que não faz sentido nos apegarmos tanto a pessoas que não nos apreciam como merecemos.

E o 3º fator que pode minar a nossa autoestima é: a falta de autonomia corporal e sexual: quando permitimos que o outro, independente do relacionamento que nutrimos com ele, invada a nossa privacidade de forma agressiva e descontrolada, podemos nos sentir usadas e desvalorizadas, resultando numa autoestima baixa e frágil.


PsicoMed no Facebook

E a minha dica para essa situação é sempre colocarmos limites em nossos relacionamentos, independente de quais esferas forem, nós precisamos assumir o controle e o desejo por aquilo que nos pertence. O nosso corpo é uma parte importante de nós e não podemos negligenciá-lo de nenhuma forma. Então, se você sentir que os seus relacionamentos não cumprem com o respeito que você merece, afaste-se antes que as coisas piorem.

E o 4º fator que pode minar a nossa autoestima é: a falta de conexões sociais e familiares: como seres sociais nós precisamos nos relacionar com outras pessoas para que possamos nos desenvolver e aprender com o meio e ele conosco. Essa interação nos ajuda a evoluirmos de forma individual e coletiva e é muito importante também para a manutenção de uma autoestima saudável.

E quando nos ausentamos dessas conexões, vivemos de forma solitária, sem referências comportamentais e sem saciarmos a nossa necessidade de pertencimento que está presente na vida de todos.

E uma dica que posso da para evitarmos essas exclusões sociais, é nos permitirmos conhecer novas pessoas e culturas, para que possamos criar vínculos com aqueles que consideramos boas companhias para as nossas vidas e para que tenhamos um repertório maior de opções dos tipos de pessoas que mais nos agradam. Mas para que isso seja possível, precisamos ter a mente aberta e sem pré-conceitos para que possamos conhecer as pessoas na sua essência.

E o 5º e último fator que pode minar a nossa autoestima é: o hábito de se comparar com os outros: isso mesmo, esse comportamento não é saudável pra ninguém. Quando achamos que alguém é melhor ou pior que nós em algum elemento, estamos superestimando ou subestimando essa pessoa e a nós mesmas, e não precisamos disso para nos sentirmos especiais.

Cada pessoa possui as suas particularidades, as suas limitações e as suas virtudes, e quando nos comparamos com alguém, estamos desvalorizando o trajeto de vida e experiências tanto dessa pessoa quanto nossas.

E uma dica que posso deixar para essa situação é, admire as pessoas, mas não se compare com elas, porque sempre vemos o palco, mas nunca os bastidores. Aprenda o máximo que puder com alguém que você acha interessante, mas não permita que o sentimento de inveja e frustração tomem conta do se coração, porque todos nós merecemos respeito e privacidade.

Espero que você tenha gostado desse conteúdo e deixe nos comentários a sua opinião que vou amar saber.

 

0

Artigos relacionados

Siga as Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Curta nossa página

Tire dúvidas por WhatsApp
Whatsapp
Whatsapp

Especialidades

Algumas Cidades


PsicoMed no Facebook

Login

Whatsapp
Whatsapp