P S I C O M E D

Loading

Olá, tudo bem? Estive resolvendo umas questões pessoais mais estava ansiosa para poder escrever novamente aqui, e como estava tão ansiosa não sabia ao certo sobre o que escrever…. Mas daí, plim falar de um assunto que eu estava sentindo. A danada da ansiedade, uma palavra tão presente no nosso dia a dia, não fiz nenhuma consulta sobre dados mas acredito que a cada 10 colegas/conhecidos/amigos/familiares que você tenha 8 hoje em dia, fala que tem ansiedade, ou que é uma pessoa ansiosa. Mas o que é a ansiedade? Quais são os seus sintomas? Quais são os tipos de ansiedade? É o que venho propor falar aqui.

 

A ansiedade é uma reação emocional normal que podemos ter ao acharmos, que temos um risco futuro a caminho, caracterizada por sentimentos de nervosismo, tensão, medo, apreensão e preocupação. Por exemplo, é natural sentir ansiedade quando seu time de futebol irá jogar um final de campeonato daqui a alguns dias, ou porque fará uma viagem e passará por um caminho perigoso, ou se sentir ansioso por uma prova ou uma entrevista de emprego estarem próximos e se preparem mais para isto. A ansiedade pode ser útil na nossa vida. O problema passa a ser quando a mesma é muito intensa, irrealista e prolongada, afetando consideravelmente a qualidade de vida do individuo.

 

Quando a ansiedade atinge níveis muitos extremos por um longo período, impedindo a pessoa de sentir satisfação com a vida, pode-se desenvolver algum tipo do transtorno de ansiedade. Segundo uma pesquisa de 2019 da Organização Mundial da Saúde, a OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo. Há cerca de 18,6 milhões de brasileiros com transtorno de ansiedade, o que equivale a 9,3% da população de todo o país. A OMS classifica, inclusive que vivemos uma epidemia de ansiedade. Sendo assim, em resumo, para estas pessoas o circuito cerebral que controla a resposta à ameaça está hiperativo, desencadeando um alerta quando, muitas vezes, não há necessidade.

 

Esses transtornos podem causar muitos efeitos desagradáveis e embora os sintomas podem variar de pessoa para pessoa com base na gravidade do sintomas que experimentam. Eles são os transtornos mais comuns de serem observados. A incapacidade de executar tarefas cotidianas; perda ou diminuição de desempenho no trabalho; isolamento social; falta de paciência com o outro; pensamentos obsessivos constantes; emoções à flor da pele; preocupação constante, geralmente são suas principais consequências.

 

Para a tal da Psicologia, medo e ansiedade são duas coisas diferentes, o medo é uma emoção negativa e aguda diante de uma ameaça percebida no presente. A ansiedade também é uma reação negativa, mas mais longa, diante da percepção de risco em uma situação futura, e não na qual o indivíduo se encontra hoje. Ou seja, medo está ligado ao presente, ansiedade ao futuro. De acordo com o DSM (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) existem 7 tipos diferente de transtorno de ansiedade que são: Transtorno do Pânico; Transtorno de Ansiedade Social (antiga Fobia Social); Fobias Específicas; Agarofobia; Transtorno de Ansiedade Generalizada; Transtorno de Ansiedade de Separação e Mutismo Seletivo , O TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) e o Estresse Pós Traumático foram considerados por muito tempo transtorno de ansiedade mas a ultima edição do manual os separou em outras categorias.

 

Indivíduos com transtornos de ansiedade geralmente apresentam sintomas físicos, cognitivos e emocionais, que prejudicam consideravelmente a vida social e a sua rotina. Como por exemplo; receio de perder algum controle, sintomas emocionais como ficar nervoso, assustado ou apreensivo, e sintomas comportamentais. Na maioria das vezes, é difícil diferenciar a ansiedade que todas as pessoas vivenciam no seu dia a dia, da ansiedade que alguém diagnosticado com transtorno de ansiedade vivencia. Não existindo uma divisão clara e indiscutível entre o que é uma ansiedade normal e uma anormal. Por isso, nós profissionais da saúde, adotamos critérios de uma maneira inteligente para concluir se a ansiedade de alguém atinge níveis extremos e prejudiciais. Assim como os demais transtornos mentais, os transtornos de ansiedade tem diversas causas possíveis. originado de uma combinação de coisas como predisposição genética, fatores físicos como um desequilíbrio de hormônios, bem como fatores ambientais, que podem incluir eventos traumáticos e o uso de substancias como as drogas são algumas das influencias mais importantes.

 

A tal da Psicologia,acredita que a ansiedade foi e ainda é essencial para a nossa sobrevivência, uma vez que ela funciona como um mecanismo de protecção que nos torna mais atento à possíveis futuras ameaças, e permite planejar nossos comportamentos para evitar situações ameaçadoras. Quando a ameaça é real, a ansiedade pode acabar salvando nossa vida. Porem, através da imaginação, percebemos ameaças que não são realistas ou prováveis de acontecer. No contexto de transtorno de ansiedade, o perigo frequentemente não existe enquanto um fato objetivo e inquestionável, mas sim enquanto uma criação distorcida da mente ao tentarmos descobri o que irá acontecer.

 

Para cada um dos tipos de transtornos de ansiedade, existem diferentes tratamentos que mostram resultados eficazes em vários estudos clínicos. Assim como no caso da depressão, o principal problema não é a falta de opções de tratamento, mas sim a falta de informação e da procura de profissionais. E ai gostou do artigo? Conhece alguém que sofre de uma ansiedade excessiva? Quer tirar alguma duvida, ou conversar? Manda uma mensagem, adoraria te escutar, um beijo e até a próxima.

Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Fale com o atendimento
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp