fbpx

Aprender a reconhecer os sintomas da ansiedade pode ajudá-lo a encontrar o motivo para problemas inexplicáveis. Além da ansiedade se manifestar de diversas formas, cada pessoa a sente de um jeito. O sentimento de ansiedade, por exemplo, pode não ser sentido com tanta intensidade por alguns indivíduos, deixando-os confusos quando recebem o diagnóstico.

Muitos incômodos emocionais podem ser motivados pela ansiedade. Como os seus sintomas são desconhecidos, as pessoas acabam atribuindo-os as suas próprias personalidades. A descoberta de que outros sentem o mesmo é recebida com surpresa. Logo, descobrem que é possível modificar aquele suposto traço de personalidade causador de sofrimento.

O Brasil vive uma epidemia de ansiedade, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). O país detém a maior taxa de pessoas ansiosas do mundo. Isso quer dizer que a quantidade de gatilhos para a ansiedade patológica é alto. Assim, saber reconhecer os sintomas se torna ainda mais importante.
O que causa a ansiedade?

A ansiedade não possui uma causa única para todos, como acontece nas patologias físicas. Embora existam fatores de risco, como a genética e o histórico familiar, todos estão suscetíveis a desenvolvê-la em algum momento da vida se não cuidarem da saúde mental.

O que torna a ansiedade patológica mais evidente no mundo moderno é o conhecimento acentuado dos profissionais da saúde sobre ela em relação ao passado, o que torna a identificação de sintomas mais precisa, e o ambiente altamente acelerado em que vivemos.

A informação chega mais rápido, as notícias ruins estão em evidência, e a pressão para ter as mesmas conquistas do passado (bens materiais, sucesso profissional, casamento) em tempo recorde é alta. Dessa forma, as pessoas ficam ansiosas mais facilmente.

Crises e acontecimentos estressantes também podem causar ansiedade, como os vistos abaixo:

Desemprego;
Divórcio;
Infidelidade no relacionamento;
Vestibular;
Promoção no trabalho;
Acidentes de trânsito ou de outros veículos;
Relacionamento abusivo;
Morte de alguém querido;
Crise financeira;
Assalto ou exposição a outro crime;
Brigas na família;
Assédio moral no ambiente profissional; e
Qualquer crise humana capaz de gerar estresse e ansiedade por um longo período.

Quando não tratada, a ansiedade pode causar depressão ou originar outras condições do espectro ansioso, como o Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) e a Síndrome do Pânico.

Sintomas da ansiedade

Os sintomas da ansiedade são físicos, emocionais e psicológicos, sendo que uma pessoa pode sentir mais sintomas de uma categoria do que outros. Dessa forma, nenhum quadro de ansiedade é totalmente idêntico e isso pode acabar confundindo o ansioso.

Da pessoa ansiosa é esperado que os períodos mais comuns de manifestação dos sintomas, bem como a intensidade dos mesmos, sejam notados. Essas informações são úteis para fazer o diagnóstico no consultório médico ou na clínica de psicoterapia, seja presencial ou virtual.

Se você suspeita que os seus desconfortos emocionais e físicos possam estar ligados à ansiedade patológica, mas não sabe nada sobre ela, a lista abaixo vai ajudá-lo a chegar a uma conclusão. Veja com quantos sintomas da ansiedade você se identifica e quando se manifestam.

1. Preocupação excessiva

Pessoas ansiosas se preocupam com eventos que ainda não aconteceram. Seus devaneios vão longe e geralmente são pessimistas, fazendo-as sofrer por antecedência. Na maioria das ocasiões, os cenários trágicos não se concretizam, mas a pessoa insiste em remoer as sensações incômodas oriundas desses pensamentos.

A preocupação excessiva também pode estar relacionada ao passado. Após uma reunião, encontro ou saída com amigos, o ansioso repassa as suas falas e comportamentos, procurando erros em sua forma de agir. Assim, preocupa-se se os demais compreenderam as suas palavras ou o interpretam incorretamente.

Há uma inclinação ao negativo em quadros de ansiedade, o que pode explicar a necessidade de se preocupar com o ruim em vez de esperar o bom. Pensar dessa maneira é reconfortante para o ansioso, por isso pode ser difícil quebrar o hábito.

2. Ganho ou perda de peso

Você já sentiu vontade de comer para acalmar a ansiedade?

Até mesmo pessoas que não são ansiosas podem fazer isso quando não se sentem bem. A compulsão alimentar é ainda mais grave na ansiedade patológica. A vontade de comer doces, pães, massas e fontes de carboidrato no geral é corriqueira. Consequentemente, o consumo desses alimentos causa o aumento do peso.

O apetite também pode desaparecer devido à inquietação constante. Ela interfere no metabolismo, acelerando-o, e acaba com a vontade de comer. Por isso, se houver perda de peso acentuada em um curto período é necessário se questionar sobre as razões por trás dela.


PsicoMed no Facebook

3. Evitar determinadas situações

Um dos sintomas da ansiedade mais difíceis de perceber é o comportamento esquivo. A pessoa ansiosa não o vê, a princípio, como algo necessariamente ruim. Ela simplesmente prefere evitar situações sociais para não se sentir desconfortável.

À medida que gratifica esse comportamento, porém, ele pode sair do controle e fazer a pessoa temer situações sociais simples. Por conseguinte, a ansiedade se fortalece nessas ocasiões e outros sintomas podem aparecer, como o mutismo seletivo ou o pânico.
4. Memória e concentração prejudicadas

A ansiedade causa perda de memória porque diversas áreas do cérebro se tornam ativas em momentos de estresse. O resultado dessa perturbação cerebral é a dificuldade para se concentrar em tarefas simples e danificação da memória de curto prazo.

Por essa razão, as pessoas ansiosas às vezes têm dificuldade para conversar sobre assuntos complexos, reter informações e explicar pontos de vista.

5. Crises de ansiedade (ou ataque de pânico)

A crise de ansiedade, ou de pânico, é um dos mais graves sintomas da ansiedade. A sua aparição sugere uma debilitação no quadro de saúde mental da pessoa ansiosa. Ela pode acontecer a qualquer momento, mas tende a ser desencadeada por gatilhos, como interações sociais desgastantes.

É recomendado procurar um psicólogo após a primeira crise para prevenir outras e dar início ao tratamento da ansiedade.

6. Insônia

A dificuldade para dormir é um sintoma clássico. Se você tem passado noites em claro, remoendo acontecimentos passados ou pensando no futuro, pode estar com ansiedade. Você também pode permanecer acordado sem saber a razão e, por mais que tente relaxar, não conseguir pregar o olho.

Quando estamos bem conosco, dormir não é um problema, especialmente quando se é jovem. Pacientes mais velhos têm uma dificuldade natural para dormir, portanto, a ansiedade pode passar despercebida.

7. Taquicardia

A taquicardia pode ser assustadora. O ansioso pode acreditar estar sofrendo de uma doença cardíaca ou estar prestes a ter um infarto. Essa preocupação costuma levar as pessoas ao médico para fazer uma bateria de exames. Essa postura é a correta, pois é preciso anular a possibilidade de patologias físicas.

A taquicardia associada à ansiedade pode se manifestar tanto em momentos de agitação quanto de estresse ou mesmo de repouso, como antes de dormir ou durante a execução de uma atividade.

8. Falta de ar

A falta de ar ocorre principalmente durante uma crise de ansiedade. O que a difere da hiperventilação causada por outras patologias é o seu desencadeamento. Ela costuma acontecer após um pensamento ansioso, uma emoção forte ou um acontecimento temeroso. Por vezes, um copo de água ou a respiração profunda acaba com esse sintoma desagradável.

9. Pensamento acelerado

Pensamentos desconexos e acelerados são um dos sintomas da ansiedade mais marcantes. O ansioso pensa o dia inteiro sobre diversos assuntos, empilhando-os em sua mente de maneira ilógica. Quando perguntado sobre as suas preocupações, ele não consegue explicá-las com clareza. É difícil, para ele, analisar os seus próprios devaneios.

A incapacidade de descansar a mente gera outros sintomas, como dor de cabeça, apreensão, falta de ar, taquicardia, entre outros. A relação entre a qualidade dos pensamentos e a ansiedade é muito forte. Idealmente, o ansioso vigiaria os seus devaneios para prevenir o agravamento da ansiedade patológica. Com o tempo, esse policiamento deixa de ser necessário.

10. Tensão muscular

Passar o dia inteiro preocupado deixa os músculos tensos! O pescoço, ombros e cabeça costumam ser os recipientes da tensão resultante da ansiedade, mas outras regiões do corpo podem ser atingidas.

A tensão muscular acontece porque o corpo se prepara para “lutar ou fugir” quando a ansiedade ou o estresse se elevam. Se você passa grande parte do seu dia preocupado, é provável que o seu organismo esteja sempre tenso, esperando uma ameaça surgir.

Se você tem sofrido com os sintomas da ansiedade por um longo período, procure um psicólogo para confirmar o diagnóstico e conhecer possíveis tratamentos

0

Artigos relacionados

Leave a Comment

Siga as Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Curta nossa página

Tire dúvidas por WhatsApp
Whatsapp
Whatsapp

Especialidades

Algumas Cidades


PsicoMed no Facebook

Login

Whatsapp
Whatsapp