P S I C O M E D

Loading

Ahhhhhhh como o amor é lindo……… eu e torcida brasileira inteira, ama estar amando, é tão bom né? Ter alguém para compartilhar tudo, viajar juntos, ter planos, contar sobre tudo e sobre nada também, porque não sei vocês mas eu amo deitar com a pessoa que eu gosto e escutar as batidas do coração dele, é tão bom que me completa, me faz tão bem, tão bem que esqueço que o mundo existe! Ahhhh o amor………

 

Existem várias formas de demonstrar e sentir esse sentimento, sejam com flores, chocolates, ursos de pelúcia, cartas (sim eu sou do tempo das cartas). E em nome desse sentimento prazeroso me deu vontade escrever sobre…. sobre quando não é assim, lembrem-se, eu sou agora a verdadeira EU, e me propus a escrever sobre temas que estão no nosso cotidiano, mas de extrema importância e como a tal da Psicologia em palavras coloquiais “pode ser útil”. Então, pensando em relacionamentos amorosos lembrei de algumas situações que já passei no passado de um relacionamento e não foi tão doce assim, e vejo pessoas. Sim pessoas, porque não é só mulher em um relacionamento heterossexual que é vitimas, homens também são, então vejo pessoas passarem e não conseguirem se libertar. Isso mesmo, hoje vim falar de relacionamentos abusivos.

 

O relacionamento abusivo é mais presente no nosso cotidiano que você, a torcida do flamengo e corinthians inteiras e juntas podem pensar. Você pode estar vivenciando, assim como amigos e parentes e as vezes nem perceber, porque a principio ele pode ser intrínseco , como uma frase “você não vai fugir de mim” sendo romantizado como demonstração de amor, além também de poder envolver várias formas de agressão. A maioria das pessoas quando escutam a palavra violência de relacionamento, associam a chutes, murros ou agressão sexual.

 

O abuso nas relações inclui violência física, mas também inclui por exemplo, violência psicológica, sexual e material. A violência psicológica, por exemplo e que me proponho a falar, ocorre por meio de assedio, intimidação ou humilhação. Já a sexual ocorre quando um parceiro obriga o outro a fazer sexo e a material ocorre quando o parceiro estraga ou destrói bens do parceiro. Esse tipo de ligação é definido por relações de poder. Falando resumidamente, as pessoas que se vinculam a esse tipo de relação convivem e mantém uma suposta afinidade. No qual, vivem uma condição de poder e submissão perante a outra. Entendem, desta forma, que seus parceiros detêm o direito de controle e dominação sobre si mesmas. Há casos em que o abusador dirá que tal comportamento é “normal”, naturalizando a ideia de que subjugar outra pessoa será para o seu próprio “bem”. Esse convencimento não é apenas por parte do abusador, algumas vezes pela própria vitima ou seu meio social.

 

O indivíduo, vítima de um relacionamento abusivo, tende a se tornar uma pessoa assustada, deprimida com medos e fobias.Sendo assim, a violência se configura quando uma das partes fica impedida de responder em condições igualitárias. O abuso ocorre quando essa pessoa se aproveita da fragilidade e vulnerabilidade financeira, física e emocional de outra pessoa. Como já dita em cima podendo nem ser tão evidente assim uma vez que ela não necessariamente se sustenta a socos e gritos. Desta forma, a vítima de relacionamento abusivo se converte em alguém incapaz de atuar, reagir ou decidir por ela mesma. A pessoa, em muitos casos perde a noção da realidade, se achando culpado pela situação. Sem perceber que ela se encontra nessa situação. Assim se mostra muito importante que estejamos atento aos sinais que mostram se alguém se encontra em um relacionamento abusivo.

 

As consequências mais comuns de um relacionamento abusivo são a ansiedade e depressão. Em alguns casos, o abuso psicológico pode ser mais prejudicial do que o abuso físico, já que vai diminuindo lentamente a própria individualidade do individuo e seu valor pessoal, gerando consequências por toda a vida.

 

Apesar de ser muito complexo realizar intervenções em um relacionamento abusivo, uma vez que é difícil que a vitima se reconheça como um, por conta da culpa e do medo. A tal da Psicologia propõe reconectar os valores e questões esquecidas pela mesma. A assistindo para restabelecer o caminho para consertar a sua autoestima. Quebrar a sequência do processo fará com que a vitima possa libertar-se das amarras condicionantes do seu estado emocional podendo reconstruir novamente seus laços sociais e retornar o curso natural. Sendo assim, se você ou alguém que você conhece se afastou muito dos seus amigos, dos seus interesses tem se sentido triste por conta disso. Esse podem ser sinais de que alguém esta em uma relação abusiva. Assim, procurar ajuda com a tal da psicologia é fundamental. E ai gostou do assunto? Quer conversar mais entre em contato comigo!

Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Fale com o atendimento
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp