P S I C O M E D

Loading

Olá tudo bem com vocês? Tinha pensado em falar sobre um tema não muito divulgado, porém pensei: “eu ainda não falei sobre o tema principal que esse assunto se encontra”, então vamos do começo e com calma não é mesmo? Até porque meu propósito aqui é desmistificar a Tal da Psicologia, falar da sua importância, e como ela pode nos ajudar a ter uma saúde mental equilibrada, desde de um foco maior em uma questão que consideramos mais “séria” até mais questões que consideramos mais “banais” do dia a dia e que achamos que não influencia em importantes escolhas, decisões, atitudes que escolhemos desde da nossa adolescência até a nossa velhice.

 

Hoje gostaria de falar de um assunto que particularmente, lá atrás quando ainda era uma estudante me fez apaixonar mais ainda pela a profissão que me formei. Um tema que no meio popular, muitas pessoas não acreditam e passam a pré-julgar os indivíduos que sejam diagnosticados com esse transtorno isso porque os mesmos não consideram “problemática” as suas características. Sem mais mistérios hoje eu vou falar um pouco sobre os Transtornos de Personalidade.

 

Mas o que vem a ser o transtorno de personalidade? São um grupo de doenças psicológicas que apresentam um padrão rígido e persistente de comportamentos, pensamentos e sentimentos que são diferentes daquilo que é esperado em uma determinada cultura. E sem tratamento adequado, que envolve psicoterapia e medicamentos, o problema costuma ter longa duração e causar sofrimento e dificuldade nos relacionamentos pessoais e em outras áreas.

 

O diagnóstico desses transtornos deve ser feito pelo psicólogo ou psiquiatra, onde é observado um padrão persistente na experiencia interna e no comportamento que se desvia acentuadamente da expectativa da sua cultura. Se manifestando na área cognitiva (por exemplo na forma de perceber e interpretar a si mesmo, outras pessoas, assim como eventos), na área da afetividade (como por exemplo na variação da labilidade, intensidade e adequação da resposta emocional), no funcionamento interpessoal e controle dos impulsos. Causando um sofrimento psíquico, social e profissional significativo. Normalmente, o surgimento ocorre a partir da adolescência e início da fase adulta. Sendo que para um transtorno de personalidade ser diagnosticado corretamente, a um indivíduo com menos de 18 anos de idade, as características precisam estar presente por pelo menos um ano. Isso porque, os traços de personalidade que surgem na infância, com frequência não persistem com mudança na vida adulta, sendo a única exceção é o transtorno de personalidade antissocial que não pode ser diagnosticado em pessoas com menos de 18 anos. E o seu tratamento consiste na realização de sessões de psicoterapia e, em alguns casos, uso de medicamentos, receitados pelo médico. Eles são distribuídos pelo DSM V em três grupos: o Grupo A que inclui transtorno de personalidade Paranoide, Esquizoide e Esquizotípica. Pessoas com esse tipo de transtornos frequentemente parecem ser “esquisitos” ou “excêntricos”. O Grupo B que inclui os transtornos de personalidades Antissocial, Borderline, Histriônica e Narcisista, onde os indivíduos com esse transtorno parecem ser “dramáticos”, “imprevisíveis” ou “emotivos”. E o Grupo C inclui os transtornos de personalidade Evitativas, Dependentes e Obsessiva-compulsiva, no qual as pessoas com esse transtorno com frequência parecem ser “ansiosas” ou “medrosas”. Podendo observar um único indivíduo com transtornos de grupos diferentes. Os dez principais transtornos de personalidade são:

 
  1. Personalidade narcisista

 
 

Caracterizado por uma supervalorização e sentimento grandioso acerca de si próprio, além de uma grande necessidade de reconhecimento e desvalorização de outras pessoas. Os narcisistas são egocêntricos e acreditam que são especiais, únicos e superiores às outras pessoas, sentem que devem ser admirados e tratados de forma especial por parte dos outros, tiram vantagem das outras pessoas para atingir os seus próprios objetivos, têm falta de empatia e não entendem os sentimentos e necessidades dos outros, sentindo frequentemente inveja ou acreditam ser alvo da inveja alheia.

 
  1. Personalidade Borderline

O transtorno de personalidade borderline, ou síndrome de borderline, caracteriza-se por uma instabilidade nos relacionamentos interpessoais e por sentimentos constantes de vazio, alterações repentinas de humor e acentuada impulsividade. Geralmente, a pessoa com esse tipo de transtorno de personalidade faz um grande esforço no sentido de evitar o abandono, tem um padrão de relacionamentos instáveis e intensos, avaliando as pessoas como boas em um instante e rapidamente as julgando como más. Além disso, em alguns casos, pode apresentar comportamentos de automutilação ou ameaças suicidas.

 

3.Personalidade Antissocial

 

O transtorno de personalidade antissocial, também conhecido como sociopatia, pode surgir muito cedo, ainda na infância, e caracteriza-se por atitudes de desrespeito e violação dos direitos das outras pessoas, descaso e desconsideração pelo certo e errado, comportamentos perigosos e/ou criminosos e incapacidade de se adequar às normas sociais. Geralmente, a pessoa com transtorno de personalidade antissocial apresenta uma grande aptidão para enganar, mentir ou iludir as outras pessoas, para obter vantagens pessoais ou prazer. Além disso, é impulsiva e agressiva e recorre muitas vezes a agressões físicas e desrespeito pelos outros, sem sentir remorso e mostrando-se indiferente por ter ferido ou maltratado alguém

 
 
 

4. Personalidade Evitativa

 
 
 

O transtorno de personalidade evitativa, também chamada de “esquiva”, caracteriza-se por uma timidez excessiva e esquiva de situações e interações sociais, com sentimentos de inadequação e grande sensibilidade à avaliação negativa por parte das outras pessoas. A pessoa com esse tipo de transtorno de personalidade geralmente evita realizar atividades interpessoais, devido ao medo da crítica e rejeição ou desaprovação, tem medo de se envolver em relacionamentos íntimos ou conhecer pessoas novas e sente-se inferior em relação ao outro.

 
 
 

5. Personalidade Obsessiva-compulsiva

 
 
 

O transtorno de personalidade obsessiva-compulsiva, é caracterizado por dois tipos de comportamento: as obsessões, que são pensamentos impróprios ou desagradáveis, recorrentes e persistentes; e as compulsões, que são comportamentos ou atos mentais repetitivos, como lavar as mãos frequentemente por medo de se contaminar com vírus ou bactérias, organizar objetos ou verificar fechaduras várias vezes, por exemplo.

 
 
 

6. Personalidade Paranoide

 
 
 

Caracterizado por uma desconfiança excessiva e suspeita em relação aos outros, em que as suas intenções são constantemente interpretadas como maldosas. Este transtorno geralmente surge no início da idade adulta, podendo ser consequência de fatores hereditários e vivências da infância. Normalmente, a pessoa não confia e suspeita de outras pessoas, sentindo frequentemente que está sendo enganado mesmo que não existam motivos. Por isso, é comum questionar constantemente a lealdade de amigos e colegas, não confiar nos outros e sentir que as suas intenções têm um caráter humilhante ou ameaçador.

 
 
 

7. Personalidade Esquizoide

 
 
 

É um tipo mais raro de transtorno de personalidade, ocorrendo com mais frequência em homens, e é caracterizado por uma tendência da pessoa se distanciar dos outros e evitar relações sociais ou relacionamentos íntimos.

 

Geralmente, a pessoa com esse tipo de transtorno é desapegada, indiferente e tem uma tendência a ser mais introspectiva e a fantasiar as coisas. Além disso, prefere realizar atividades solitárias, evita o contacto íntimo e social, não tem amigos íntimos, mostra-se indiferente a elogios ou críticas e é emocionalmente frio e distanciado.

 
 
 

8. Personalidade Esquizotípica

 
 
 

Normalmente a pessoa com transtorno de personalidade esquizotípica tem um comportamento, fala e aparência excêntricos, crença bizarras, que não estão de acordo com as normas culturais em que a pessoa está inserida e pensamento, percepções e discurso incomuns, semelhantes à esquizofrenia.

 
 
 

9. Personalidade histriônica

 
 
 

O transtorno de personalidade histriônica caracteriza-se por uma auto-estima baixa, sensibilidade à crítica e rejeição, e tendência a depender da atenção e aprovação de outras pessoas para o próprio bem estar. Além de usar a aparência física para chamar a atenção e usa um discurso excessivamente impressionista e expressões emocionais exageradas. No entanto, a pessoa com que tem personalidade histriônica, é facilmente influenciada pelos outros ou pelas circunstâncias e considera os relacionamentos com as pessoas mais íntimos do que realmente são.

 
 
 

10. Personalidade Dependente

 
 
 

O transtorno de personalidade dependente caracteriza-se por uma falta de autoconfiança, visão limitada de si e dos outros e pela necessidade excessiva de ser cuidado, levando a um comportamento submisso e ao medo da separação e do abandono. Além disso, a pessoa com personalidade dependente sente dificuldade para iniciar projetos ou fazer coisas por conta própria, por falta de autoconfiança, energia ou motivação. Tem ainda uma necessidade extrema de receber carinho e apoio, e sente desconforto ou desamparo quando está só. Por isso, busca urgentemente um novo relacionamento como fonte de carinho e amparo, quando o atual termina.

 
 
 

Esse foi um breve resumo do tão importante transtorno de Personalidade, e suas subdivisão, e aí gostaram? Tem alguma dúvida, pode falar comigo.

Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Fale com o atendimento
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp
Whatsapp