“A cada dia que vivo,

mais me convenço de que o

desperdício da vida

está no amor que não damos,

nas forças que não usamos,

na prudência egoísta que nada arrisca,

e que, esquivando-se do sofrimento,

perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.

O sofrimento é opcional.”

Carlos Drummond de Andrade

 

Inicio este texto com essa citação de Drummond, trazendo à tona uma temática amplamente defendida na Psicologia: a legitimidade dos sentimentos. As emoções não surgem à toa, elas aparecem por um motivo. Embora lá na infância escuta-se muito “Menina, engole o choro”, “Que bobagem! Pra que você está chorando?”, “Não sei porque você está chateada, foi você mesma que provocou isso”, “Deixa de ser fraco! Garotos não choram”.

Aprendemos e crescemos que o certo é esconder o que sentimos, guardar dentro da gente a sete chaves e não falar pra ninguém. Erroneamente, acredita-se que ao fazer isso mostramos força, resistência e superação. A verdade é que guardar aquilo que nos faz mal, a longo prazo, não nos fortalece, muito pelo contrário, deixa-nos ainda mais fragilizados, a angústia vai corroendo por dentro até ficarmos em frangalhos.

Na abordagem psicológica Cognitiva-Comportamental, conhecer e compreender as próprias emoções é ponto de partida para iniciar o processo de psicoterapia, pois o cerne da demanda está encoberto por elas. O passo seguinte é associar o sentimento ao pensamento, identificando-o e questionando-o.

Quando estamos tristes, por exemplo, podem surgir pensamentos do tipo “Não tenho ninguém por mim”, “Sou incapaz de mudar”. O quanto esse pensamento é absolutamente verdadeiro? Esse é um pensamento que me ajuda? Quais prejuízos esse pensamento tem me trazido? É preciso treinar a flexibilidade do pensamento, tentando ser mais racional e menos emocional.

As emoções e os sentimentos podem ser manejados de maneira mais adequada e funcional, mitigando o sofrimento provocado por eles. Compreendê-los e aceitá-los ajuda a enfrentar os problemas de forma mais assertiva. É possível encontrar forças para enfrentar um problema mesmo estando com medo. É possível ter esperança mesmo diante de um desafio. Seja gentil consigo mesmo.

 

Leilane Andrade

Psicóloga e Jornalista

CRP 17/6253

leilaneandpsicologa@gmail.com

@leilaneandpsicologa

 

Artigo publicado e disponível no link:

https://tcmnoticia.com.br/category/colunas/leilane-andrade/

 

Deixe uma resposta

Redes Sociais!

Uma plataforma que conecta psicólogos e pacientes, possibilitando atendimentos online e presenciais.

© PsicoMed Doctor Psi, LLC. All rights reserved.

Fale com o atendimento
Whatsapp
Whatsapp

Olá, visitante

Entre em sua conta

Ainda não tem cadastro? Abra conta grátis

Olá, visitante

Você tem interesse em um
orçamento de consulta

Receba grátis o contato com o valor
personalizado para a sua consulta hoje mesmo!

Form Apoiar

Olá, visitante

Olá, visitante

Editar Perfil

Ver Perfil Profissional, Editar, Inserir fotos

Chats

Mensagens de chats com pacientes

Notificações

Estatísticas de acesso de visitantes

Feed de Notícias

Posts na timeline dos pacientes

Publicar no Blog

Aumente o alcance de seu perfil

Painel Encaminha

Lista de encaminhamentos

Painel Ads

Gerenciamento de anúncios no Google

Plano Premium

Seu perfil em destaque na plataforma

Painel Financeiro

Sua conta Premium

Minha Conta

Gerenciar conta, alterar senha